terça-feira, 13 de setembro de 2016

Lá vou eu outra vez...

Ao longo da minha curta vida (27 aninhos), sempre me achei gordinha. Era magra, mas tinha aquele pneu, aquela banhita, nada realmente preocupante. Com o fim da vida de estudante e com o início de uma carreira com direito a ordenado, começaram os almoços, jantares, e sempre da pior qualidade. O " oh apetece-me vou comer isto", oh hoje trabalhei tanto eu mereço o gelado, mais o chocolate, mais as pipocas", " é só hoje", sei lá tantas são as desculpas, tantas são as razões. Mas o que realmente importa é que em 4 anos engordei 40 kg, assim, drasticamente, sem me aperceber bem como. 
A minha própria roupa deixara de servir, nas lojas normais já não havia roupa que me servisse e acho, que só aí fiquei assustada. Fui tentando perder peso, alterar hábitos e fazer mudanças. Mas nunca consegui. Porquê ? Não sei. Ainda não sei. Tentei de tudo. Dietas, produtos e produtinhos. Ginásios, nutricionistas, dietistas. A grande questão é que se eu fizesse o que eles diziam eu perdia mesmo peso, mas esta cabeça fraca não aguentava. Porquê ? Não sei. Ainda não sei.
Ontem, pela 45465786879 vez, fui á nutricionista, alguém que já me conhece. Que sabe dos meus problemas, que já sabes das minhas manhas. Analisou, e fez um plano. 3 semanas para cumprir e ver resultados.
De todas as outras vezes saia de lá animada, contente, positiva, e a achar que era desta. Mas ontem, sai de lá quase a chorar, deprimida e sem acreditar em mim. Se vai fazer diferença ? Se é desta que vou conseguir ? Não sei. Veremos.
Mas aqui fica, o meu cumpremetimento com vocês.

quinta-feira, 28 de abril de 2016

A Avó Ana

Era uma vez... Uma senhora, a A. 
A A tinha olhos azuis, cabelos grisalhos, poucos dentes e muitas rugas. Vestia o preto e ostentava com orgulho o pouco ouro que tinha. Para ela, o ouro era a única coisa que ia deixar. Estava enganada. Embora fossem poucos os dentes que lhe restavam, nunca a ouvi queixar-se de não conseguir comer. Esse sempre foi um dos poucos prazeres da vida. Para a A a sua canequinha metálica com vinho e um bom pedaço de pão de milho era suficientes. A fome já tinha passado, mas a simplicidade no gosto permanecia. Só mais tarde descobriu o paladar dos iogurtes(augustos) e dos gelados(escomungados). O vocabulário desatinado e engraçado era o seu ponto forte. Aliás, tudo na A era engraçado! As palavras que ela criava eram tantas que podia escrever um dicionário só dela. 
A A era uma mulher, mãe, avó, bis-avó feliz. Apenas em dois momentos a vi sofrer, a quando a perda de dois filhos, um por morte outro por estupidez. Acredito, que outros momentos passados a tenham magoado,mas a sua alegria contagiante era tanta, que ao longo dos meus 27 anos não vi infeliz. Era sorrisos, eram asneiras, eram lágrimas, gestos, olhares... Ai os olhares. 
Nestes últimos meses a A já só tinha sorrisos e olhares. Depois de muitos sustos, as mazelas já eram muitas, mas forte a A dava sorrisos, e olhares. 
A A criou-me, educou-me alimentou-me, durante a minha infância, e mesmo agora depois de ter partido continua a ensinar-me. Dela tiro os exemplos bons ou maus são os ensinamentos que ela me deixou. Para além de boas memórias, muitas histórias e bons momentos a A deixou-me um orgulho, um grande orgulho. A minha Avó, é melhor e foi a maior! Guerreira, companheira, doce, engraçada, directa, verdadeira, carinhosa, preocupada e de coração aberto! 
Herdei da minha avó todo amor na mais bela forma de o demonstrar: no olhar. Não preciso de dizer o que sinto nem a quem sinto, basta olhar-me nos olhos. 
Tenho orgulho de ter conhecido tal mulher e ter vivido o seu amor.
Esse amor não se mede em lágrimas nem em sorrisos. Esse amor vê-se nos gestos e nos pensamentos.
.......................................................................................................
Querida avó, 
espero que estejas confortável por aí. Esse sítio que não conheço, mas muito ouço especular. Quero que saibas que deixas-te saudades, mas também boas lembranças. Deixas-te mais sorrisos, do que lágrimas, ah sua mulher forte, que a mim fortificas-te com actos e palavras. 
A ti devo bons anos da minha vida.
Serás sempre lembrada como a minha segunda mãe. Mãe da minha mãe. Quem melhor para me criar?
Com o teu feitio e coração dócil me moldas-te. Preparas-te o meu caminho e me fizeste mulher. Tenho para a vida um grande exemplo. Esse ninguém mo tira. Morres-te em corpo mas o teu amor habita em mim. Embora gostasse muito que estivesses em pele e osso no meu casamento, sei que não faltarás. E eu não me esquecerei de ti! " Põe tento nisso!" 
Espero conseguir transmitir aos meus filhos , teus bis-netos ( se os tiver) toda a essência e verdade que tu me deste. 
Agora falando de coisas mais virais, tenho saudades tuas, porra! 
Eu vou-me portar bem.
Prometo.
Um beijinho cheio de ranho e baba da tua nojentinha

sábado, 2 de abril de 2016

quinta-feira, 31 de março de 2016

Wish list #1

Não custa sonhar, certo ? Além disso, as pessoas estão sempre a dizer que não sabem o que me oferecer no aniversário, ou no natal! Bem gente, resolvi o vosso problema! Sou mesmo boa pessoa ahaha.
Ora bem, começamos com algo caro, visto que estou quase a completar 27 primaveras, bem que mereço. Ora atentem:
http://www.adidas.com/pt/superstar-up-metal-toe-shoes/S79384.html

Adoro! Acho-as lindas! Mas nunca as consegui experimentar porque não se vendem em Portugal nem Espanha. Espero, mas espero mesmo recebe-las no meu aniversário! Ainda por cima estão mais baratinhas!